quinta-feira, 3 de abril de 2008

Anos "60", Anos de Guerra
























Comentário a este Post

Miguel V. Velez de Oliveira disse...

"Parabéns pelo maravilhoso trabalho que acabei de ler. Estive em Nambo Junho a Dezembro de 1962. Muito se falava do 114. Também tenho fotos desse tempo!! Muitos anos se passaram mas a memória perdura. Saudações para todos do 114, da CCS do Bat Caç 137"

24 de Abril de 2009 15:58

-
Caro Camarada de Armas dos Anos "61/63"
É com muita alegria que estabeleço ligação consigo através da inclusão do Comentário que deixou neste blogue.
Se porventura tivesse deixado o comentário num outro post interior do blog iria procurar desenvolver um pouco mais o tema em relação àquela guerra sem sentido!
É que criou-se um mito inverosímil que vai sendo transmitido de geração em geração conferindo-lhe total veracidade.
Ficou entretanto algo por dizer acerca do Bat Caç 114 e do Bat que se lhe seguiu, o 137, isto sem beliscar minimamente o mérito alcançado por feitos bélicos de outros Batalhões e Unidades Militares.
É que, naquela zona de conflito, onde nós estivemos, e onde tiveram lugar a primeira e a mais impressionante de uma longa série de cenas de batalha (sem tréguas) e de cenas de combate pessoal desencadeadas com grande fúria, justificaria, uma outra atenção, porque não se pode evoluir para o imediatamente a seguir, ignorando o antigo!!!
Essa guerra, denominada de "Guerra Colonial", durou 14 anos, ceifou milhares de vidas, destruiu e desintegrou muitas famílias, levantou tantas dúvidas quanto enalteceu o espírito patriótico, não foi consensual, nem bem explicada, mas foi assumida, combatida pelos muitos militares portugueses, e provocou desilusões e muita revolta!
Amigo Miguel Oliveira, o que, a meu ver, é inaceitável é o esquecimento deliberado em relação aos nossos companheiros que tombaram ao nosso lado e ainda o desprezo a que são votados outros que sobreviveram àquela guerra e que vivem nas ruas e sofrem de problemas graves como o alcoolismo, a tóxico-dependência e em situação de pobreza extrema. Arrepia só de pensar nisso!!!
Um abraço Amigo
-

Entretanto, para fazer face àquilo que referiu "a memória perdura" Vide http://cc115.1.blogspot.com
ou no Google: Companhia de Caçadores 115 - Angola

-


2 comentários:

Miguel V. Velez de Oliveira disse...

Parabens pelo maravilhoso trabalho que acabei de ler.Estive em NamboJunho a dezembro 1962.Muito se falava do 114 tambem tenho fotos desse tempo!! Muitos anos se passaram mas a memória perdura.Saudações para todo O 114,da CCSBatCac137

Manuel Amaral disse...

Aqui está um lugar aonde me encontro há cerca de uma hora e,não sendo da minha CC 117,sinto-me lindamente.Fala das amizades que se fizeram durante os dois anos de que temos todos muitas saudades,apesar de tudo,e se continua a têr encontros,convivios,para revêr os amigos.Eu gosto.E cumprimento todos os colaboradores deste grande trabalho.Vou continuar a vir cá para matar as ditas cujas.As saudades,claro.Despeço-me com um forte abraço a dividir por todos os obreiros deste Bloguer.Manuel Amaral ex-1ºcabo 212/60,da Companhia de Caçadores 117.